Filmes

Crítica | Acrimônia aborda um relacionamento abusivo desde seu princípio

Acrimônia (significado): 1. Aspereza, severidade. 2. Mordacidade, sarcasmo. 3. Modo de agir de quem é indelicado, áspero, mal-humorado. 4. Crítica severa e injusta. 5. Azedume; qualidade do que é acre, de sabor azedo, ácido: a acrimônia do limão.

Acrimoniar (significado): 1. Tornar criminoso.

A sociedade sempre tem necessidade de ter alguém para taxar de louco. E quem é reconhecido por tal alcunha, muitas vezes, só é visto assim porque a maioria só tem olhos para as consequências sem se interessar pelas causas anteriores.

E qual melhor forma de entender as causas se não através do recurso de flashback? Por meio dele conseguimos voltar no tempo para descobrir o passado das personagens e consequentemente, suas origens e motivações.

Exatamente assim, que o público tem acesso a verdadeira história por detrás da “loucura” de Melinda. Uma mulher que sempre foi impulsiva, passional e impetuosa —é verdade — Mas isso a torna essencialmente louca? Não necessariamente.

A forma que ela escolheu reagir ao que fizeram com ela e todas as consequências que gera a partir de suas atitudes impensadas podem até beirar a loucura pela proporção que se cria. Contudo, ser uma pessoa reativa não absolve aquele que provocou a reação.

Afinal, com que está a culpa? Apenas com o que cometeu o estrago ou também deve ser atribuída àquele que causou todo o estrago?

Para entender melhor, vamos explicar sobre o que se trata o filme;

Melinda conhece Robert na faculdade e desde então, ele a convence de fazer qualquer coisa que pedisse. Se aproveitando que ela tinha uma condição financeira muito melhor que a dele, Robert passa a tirar vantagem dela, chegando a ponto de faze-la comprar um carro pra ele e pagar suas inúmeras dívidas após apelar para o amor que Melinda nutria por ele.

A situação vai piorando conforme Robert vai se mostrando cada vez mais abusivo. Sempre se fazendo de vítima para que Melinda tivesse pena dele, ele a faz ter que hipotecar a casa que pertencia à mãe dela, dentre outras situações, uma mais absurda que a outra, fazendo com que ela seja julgada constantemente por suas irmãs que a veem como uma otária manipulável.

O filme mostra toda a trajetória do casal, desde o momento que se conheceram, o namoro, a traição dele, o casamento, a aversão das irmãs ao relacionamento dos dois, até o divórcio e o trágico desfecho.

É contado de trás pra frente. Começa com o dia do julgamento, no qual Robert e sua noiva estão no tribunal exigindo uma ordem de afastamento para Melinda. Diante disso, o juiz a aconselha a procurar ajuda psicológica e descobrimos o que de fato aconteceu entre ela e o ex marido através do relato que ela conta para a terapeuta.

Só que nem a terapeuta consegue ajudar, muito pelo contrário. Ninguém de fato entende o que tanto machuca Melinda nessa situação toda. A questão não é a traição propriamente dita nem o fato de Robert ficar noivo da mesma mulher com quem a traiu na juventude — causando uma hemorragia nela, após seu ciúme leva-la a derrubar com o carro o trailer onde ele morava — a questão vai muito além disso.

A questão envolve tudo que ela fez durante anos por ele, toda sua dedicação e lealdade e, os anos perdidos em prol dele. Na época que se conheceram, ela tinha um namorado com uma alta posição social e que estava disposto a fazer qualquer coisa por ela.

Mas ela escolheu Robert. Ela o escolheu até o fim. Apesar de todas as críticas que ouvia de sua família e acima de tudo, apesar de todas as decepções que ele causava nela. Nada o fazia desistir dele. Nada. Só que ele, no final das contas, não fez o mesmo por ela. Escolheu outra ao invés dela.

Fica em aberto se ele já estava com a outra mulher antes de se divorciar. Segundo ele, seu interesse era estritamente profissional, pois ele precisava de sua ajuda para conseguir uma reunião com Prescott, um grande empresário que investia em projetos que poderiam gerar lucro.

Porém, não importa se ele a traiu de novo ou não. O que importa é a forma como conduziu as coisas depois de finalmente realizar seu sonho de tornar sua bateria um feito altamente rentável.

É certo que foi ela quem pediu o divórcio e, é certo que ele recompensou uma parte do investimento que ela fez nele. Contudo, ele errou em dizer que ainda a amava e que sempre iria amá-la, quando na verdade, já estava comprometido com outra.

Até o último momento ele a fez criar falsas expectativas e a iludiu. E quando não precisou mais dela, a “cuspiu” sem nenhuma dificuldade.

Se não fosse pelas palavras dele ao entregar o cheque seria possível enxerga-lo de uma forma menos maniqueísta. À princípio, ele parecia ser apenas um sonhador. E realmente tinha talento e capacidade para realizar seu sonho, como de fato acabou acontecendo.

Mesmo com seus pontos falhos e principalmente seu egoísmo em relação à mulher, podíamos pensar que ele realmente fez tudo pensando em cumprir a vida de sonhos que prometera a ela.

Talvez precisou ser feito dessa forma, terminar do jeito que terminou, para que fique claro para o público que o filme aborda um relacionamento abusivo. Se eles terminassem juntos podia ser que os abusos dele, durante anos, fossem apagados com a justificativa de que o amor deve relevar tudo.

Acrimônia é o tipo de filme que nos causa revolta e necessidade de revanche. Principalmente para o público feminino ou para quem já passou por alguma situação abusiva, de qualquer tipo.

Estudante de Letras metida a astróloga graças (ou não) ao seu escorpião com ascendente em peixes e lua em aquário. Viciada em séries a ponto de se recusar a aceitar a "morte" de Lost até hoje. Precisa de injeções diárias de realidade pra não ser abduzida pela Terra do Nunca.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.