Críticas,  Literatura

Resenha | Auggie & Eu, de R.J. Palacio

O CAPÍTULO DO JULIAN

Quando soube dessa novela, fiquei muito curiosa. O motivo é bem óbvio: saber o lado do Julian? O garoto que nem pensava duas vezes antes de ser maldoso com Auggie? Por favor, eu quero!

E é exatamente isso que o livro propõe e cumpre: os motivos, razões e sentimentos vividos por Julian, o garoto que nos deixou com raiva enquanto líamos Extraordinário.

Um erro não define quem você é, Julian. Entende? Você pode simplesmente fazer a coisa certa da próxima vez.

Mais uma vez, R.J. Palacio surpreende, isso porque Julian não é mesmo um garoto mal. Ele é novo, popular e finalmente se livrou do medo que seus pesadelos o faziam sentir.

Talvez “medo” seja uma palavra fraca para o que ele sentia. “Terror” é a mais adequada. Então, quando Auggie entra na escola, bom, Julian se assusta. Como as demais pessoas, entretanto, ele não consegue simplesmente seguir em frente.

Porque toda vez eu deita para dormir, morre de medo. O Capítulo de Julian mantém a narrativa contagiante e é contado por ele mesmo, mostrando um lado sensível e tão realista quanto.

Não gosto de revirar o passado. A vida está diante de nós. Se perdemos muito tempo olhando para trás, não vemos aonde estamos indo!

Apesar de ter gostado do que tinha lido até então, admito que o final me surpreendeu muito, fez o coração bater mais rápido enquanto estive vivendo outra época pelos olhos da avó de Julian.

Foi perfeito entender como ele conseguiu reconhecer e assumir seus erros, o quão corajoso foi para mostrar um lado que sequer os pais queriam admitir que existia. Foi realmente lindo.

O Capítulo do Julian aqueceu o coração, me arrancou um suspiro e, sim, quase deixei escapar uma ou outra lágrima. Ninguém é perfeito, nem Auggie, nem Julian, nem a avó dele, nem seus pais.

Nem eu e nem você. Mas isso importa? Com certeza não.

PLUTÃO

Eu gostei de Extraordinário. Bastante. Mas não foi o melhor livro que li na minha vida. Quando a primeira novela baseada no livro foi lançada, quis muito ler: e não me arrependi.

O Capítulo do Julian foi simplesmente incrível — amor à primeira vista com favoritismo garantido ao final. Então, quando soube de Plutão, é claro que fiquei curiosa.

Christopher, melhor amigo de infância de Auggie, está tendo um dia péssimo. E é este dia que acompanhamos na narrativa, com alguns flashbacks de quando ele e Auggie estavam juntos na infância. Sabe aquela frase que diz que os momentos ruins nos ensinam algo?

Acho que todos nós naturalmente “esquecemos” de coisas que achamos importantes de fez em quando, como ser gentil e pensar e se colocar no lugar do outro. Uma situação ruim nos faz ver de perto esses elementos e Plutão é o perfeito exemplo para isso: o quanto Chris esqueceu do que era realmente importante e, ao longo do dia, foi lembrando.

Na faculdade, costumávamos brincar com a frase “o importante é o que importa” e, aqui, o que importa é a amizade, o amor familiar e o quanto podemos ser gentis com aqueles que amamos por mais irritados que estejamos. É um pouco sobre aproveitar o momento (com sua mãe, seu pai, os dois juntos, uma cachorrinha chamada Darth Daisy, o que for) e pensar no coletivo.

O Capítulo de Julian realmente me emocionou, Plutão não fica muito atrás. É uma narrativa que faz rir e chorar, pelo menos com aqueles que são mais sensíveis, tipo eu. Realmente recomendo a leitura, que é bem rápida, com uma escrita maravilhosa e ensinamentos para, mais uma vez, a vida.


NOTA ★★★★★

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!