Críticas,  Literatura

Resenha | Fiquei com o seu número, de Sophie Kinsella

Sophie Kinsella está de volta com mais uma comédia romântica excelente, completamente apaixonante e inesquecível. Com personagens mais marcantes que em outros livros, a autora nos apresenta à Poppy, uma mulher que está prestes a se casar com Magnus.

Magnus é de uma família de pessoas com um QI acima do normal, cujos jogos de palavras cruzadas são sempre uma disputa para pontuações maiores e colocações melhores no ranking familiar – o qual Poppy só é incluída quando trapaceia com a ajuda de Sam, um homem de negócios que entra na sua vida de um jeito inesperado.

Ao teu celular, roubado e perder o anel de noivado que pertenceu a avó de Magnus, Poppy entra num ciclo de puro desespero. É quando acha, no lixo, um celular que liga e funciona bem – e como ninguém tinha ido o procurar, resolve ficar com ele.

Acontece que o aparelho era da assistente de Sam, que não parece tão disposto a permitir que uma desconhecida fique com um celular que é da empresa onde trabalha.

Sam logo vai descobrir que Poppy consegue ser bem insistente quando quer alguma coisa, e que, apenas talvez, não tenha sido tão ruim assim que ela tenha conseguido ficar com o celular da assistente dele, afinal.

Em meio a uma série de problemas e situações, Sam e Poppy vão se conhecendo, saindo apenas das trocas de mensagens e e-mails.

“[…] quando as mãos dele me seguram delicadamente pela cintura, eu não emito nenhum som. Quando ele me vira para ficar de frente para ele, eu não emito nenhum som. E quando a barba por fazer dele arranha o meu rosto, eu também não emito nenhum som. Não preciso. Ainda estamos conversando.”

Sophie nos faz rir com Poppy e suas situações e pensamentos, nos leva a uma paixão pelo homem que vamos conhecendo em Sam e nos engana quanto a peronagens que pareciam tão óbvios no início. Ela consegue nos envolver em uma narrativa que gruda as mãos nos livros ao mesmo tempo em que queremos diminuir o ritmo para não sairmos daquele universo.

Fiquei com o Seu Número é divertido, inteligente, engraçado, emocionante e tão bem escrito que nos deixa querendo mais do casal, mais da escritora e mais do universo que o livro cria. É impossível não amar.


resenha escrita originalmente em 2012

Nota ★★★★★

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!